Análise de dados: o que é e como ingressar na área

Avatar de Renata Lopes Renata Lopes
22 minutos de leitura 23 dias atrás

Você já se perguntou como empresas como Netflix sabem exatamente quais filmes recomendar para você ou como os sites de e-commerce sempre parecem saber o que você está procurando? A resposta está na análise de dados!

Em um mundo onde somos bombardeados com uma quantidade avassaladora de informações diariamente, a capacidade de interpretar e utilizar esses dados de forma eficaz nunca foi tão importante. Seja para melhorar a experiência do cliente, otimizar operações ou prever tendências futuras, a análise de dados está no centro das estratégias bem-sucedidas.

Então, se você está curioso para saber como isso acontece e como você pode dominar essa habilidade essencial, continue lendo! Vamos explorar o que é a análise de dados, quais são as ferramentas e técnicas mais utilizadas para transformar informações em insights valiosos e como você pode se preparar para uma carreira promissora nesse campo em constante ascensão.

O que é a análise de dados?

Análise de dados é o processo de inspeção, limpeza, transformação e modelagem de dados com o objetivo de descobrir informações úteis, conclusões e apoiar a tomada de decisão. Este processo envolve várias técnicas e ferramentas que ajudam a identificar padrões, tendências e correlações em grandes volumes de dados. A análise de dados pode ser aplicada em diversos contextos, desde negócios e marketing até saúde e ciências sociais, proporcionando insights significativos para melhorar processos, estratégias e resultados.

A análise de dados utiliza métodos quantitativos e qualitativos para interpretar os dados brutos. Métodos quantitativos incluem estatísticas, algoritmos e modelos matemáticos, enquanto métodos qualitativos envolvem a interpretação de dados não numéricos, como textos e vídeos, para entender comportamentos e tendências. Em essência, a análise de dados é uma disciplina multidisciplinar que combina conhecimentos de matemática (com destaque para a estatística), ciência da computação e conhecimentos específicos da área em que está sendo aplicada.

Objetivos da análise de dados

A análise de dados tem como principal objetivo transformar dados brutos em informações acionáveis. Isso é feito para auxiliar na tomada de decisão baseada em dados, identificar oportunidades de melhoria, prever tendências e entender o comportamento dos usuários ou clientes. Os principais objetivos incluem:

  1. Tomada de decisão informada: permitir que empresas e organizações tomem decisões baseadas em evidências concretas em vez de suposições.
  2. Identificação de padrões e tendências: revelar padrões ocultos e tendências que não são visíveis a olho nu.
  3. Otimização de processos: melhorar a eficiência operacional, identificando gargalos e oportunidades de melhoria.
  4. Previsão de resultados futuros: utilizar dados históricos para prever resultados e comportamentos, auxiliando no planejamento estratégico.

Benefícios da análise de dados

Os benefícios da análise de dados são numerosos e abrangem várias áreas:

  1. Aumento da eficiência operacional: empresas podem otimizar seus processos e recursos, resultando em maior produtividade e redução de custos.
  2. Melhoria na experiência do cliente: ao entender melhor as necessidades e comportamentos dos clientes, as empresas podem personalizar seus produtos e serviços, aumentando a satisfação e a lealdade do cliente.
  3. Vantagem competitiva: organizações que utilizam análise de dados de forma eficaz podem se diferenciar no mercado, respondendo rapidamente às mudanças e demandas do mercado.
  4. Inovação: a análise de dados pode revelar novas oportunidades de negócios, produtos ou serviços, promovendo a inovação contínua.
  5. Gestão de riscos: identificação e mitigação de riscos através do monitoramento de indicadores-chave e padrões de dados.

A análise de dados, portanto, é uma ferramenta poderosa que capacita organizações e indivíduos a fazerem uso estratégico de informações, promovendo o sucesso e a inovação em um mundo cada vez mais orientado por dados.

Diferença entre análise de dados e ciência de dados

Termos como “análise de dados” e “ciência de dados” são frequentemente usados de forma intercambiável. No entanto, embora esses campos estejam relacionados, eles possuem diferenças distintas em termos de escopo, ferramentas e objetivos.

Análise de dados

A análise de dados envolve a aplicação de técnicas estatísticas e ferramentas de visualização para descobrir padrões, identificar tendências e fornecer insights claros e compreensíveis.

Exemplos de atividades do analista de dados:

  • Limpeza e organização de dados;
  • Criação de gráficos e dashboards;
  • Análise de tendências e padrões históricos;
  • Geração de relatórios e apresentação de resultados.

Ciência de dados

Por outro lado, a ciência de dados é um campo mais amplo que engloba a análise de dados, mas também inclui a aplicação de técnicas avançadas, como machine learning e inteligência artificial, para prever resultados e tomar decisões automatizadas. Cientistas de dados utilizam uma combinação de estatística, programação e conhecimento do negócio para construir modelos complexos que podem identificar relações ocultas em grandes volumes de dados.

Exemplos de atividades do cientista de dados:

  • Desenvolvimento de algoritmos de machine learning;
  • Construção de modelos preditivos e prescritivos;
  • Análise de grandes conjuntos de dados (big data);
  • Implementação de sistemas de recomendação e classificação automática.

Ou seja, a análise de dados e a ciência de dados compartilham uma base comum de trabalho com dados, mas diferem significativamente em escopo e abordagem. A análise de dados é mais focada em explorar e interpretar dados existentes para fornecer insights diretos e acionáveis, enquanto a ciência de dados abrange técnicas mais avançadas para modelar e prever comportamentos futuros, muitas vezes envolvendo grandes conjuntos de dados e algoritmos complexos.

Tipos de análise de dados

De modo geral, podemos classificar a análise de dados em quatro tipos: análise descritiva, análise diagnóstica, análise preditiva e análise prescritiva. Enquanto as análises descritiva e diagnóstica normalmente são feitas pelo analista de dados, as análises preditiva e prescritiva costumam ficar sob a responsabilidade do cientista de dados. Veja detalhadamente cada caso abaixo.

1. Análise descritiva

A análise descritiva é o primeiro passo no processo de análise de dados, focada em resumir e descrever os principais aspectos dos dados. Ela utiliza estatísticas descritivas, como média, mediana, moda, distribuição de frequência e gráfico para entender e visualizar os dados.

Aplicações de análise descritiva

Relatórios de vendas: empresas usam a análise descritiva para visualizar dados de vendas, identificar produtos mais vendidos e épocas de maior movimento.

  • Exemplo prático: Projeto Sales App, para análise de vendas por meio de dashboard em Python.
Dashboard Sales App, feito com Streamlit, para análise de dados de vendas.
Projeto Sales App, da Asimov Academy

Saúde pública: analisar a distribuição de doenças em diferentes regiões e grupos populacionais para informar políticas de saúde.

Projeto Análise de Dados de Obesidade e PIB, da Asimov Academy

2. Análise diagnóstica

A análise diagnóstica vai além da descrição dos dados, buscando entender as causas dos eventos observados. Utiliza técnicas como correlação, análise de regressão e análise de variância (ANOVA) para identificar relações e dependências entre variáveis.

Aplicações de análise diagnóstica

Pesquisa de mercado: identificar fatores que influenciam o comportamento do consumidor, como a correlação entre campanhas publicitárias e aumento nas vendas.

Gestão de saúde: identificar fatores que contribuem para o aumento de doenças cardíacas.

3. Análise preditiva

A análise preditiva utiliza modelos estatísticos e algoritmos de machine learning para prever eventos futuros com base em dados históricos. Essa abordagem é fundamental para a tomada de decisão proativa e planejamento estratégico.

Aplicações de análise preditiva

Gestão de riscos: prever crises financeiras ou riscos de crédito, permitindo que as empresas tomem medidas preventivas.

Projeto Análise de Crédito com Machine Learning.

Imobiliário: prever preços de apartamentos para ajudar compradores e investidores a tomar decisões informadas.

4. Análise prescritiva

A análise prescritiva recomenda ações específicas para alcançar os melhores resultados possíveis, considerando os dados disponíveis. Utiliza técnicas avançadas de otimização, simulação e algoritmos de machine learning.

Aplicações de análise prescritiva

Otimização de rotas de transporte: empresas de logística utilizam a análise prescritiva para determinar as rotas mais eficientes para a entrega de mercadorias.

Projeto Otimizando Rotas com Google Maps para melhorar a eficiência das rotas de entrega.

Análise de performance esportiva: recomendações para melhorar a performance de jogadores com base em análise de dados de jogos.

Esses quatro tipos de análise de dados formam a base da tomada de decisões informadas e estratégicas em diversos setores. Ao combinar diferentes abordagens analíticas, as organizações podem obter uma compreensão mais completa e acionável de seus dados, impulsionando inovação e sucesso.

Quais ferramentas um analista de dados precisa saber?

Dentre as principais ferramentas que o mercado solicita a um analista de dados, estão a linguagem de programação Python e os softwares Excel e Power BI.

Análise de dados com Python

Python é uma das linguagens de programação mais populares para análise de dados devido à sua simplicidade e versatilidade. Ela oferece diversas bibliotecas que facilitam a manipulação, visualização e análise de dados, tais como:

  • Pandas: biblioteca essencial para manipulação e análise de dados. Permite a leitura e escrita de dados, bem como a realização de operações complexas de limpeza e transformação de dados.
  • NumPy: usada para cálculos numéricos eficientes. Oferece suporte para arrays multidimensionais e funções matemáticas de alto desempenho.
  • Matplotlib: biblioteca de visualização que cria gráficos estáticos, animados e interativos em Python. Ideal para criar gráficos de linha, barras, histogramas e mais.
  • Seaborn: baseada no Matplotlib, é usada para criar visualizações estatísticas atraentes e informativas. Facilita a criação de gráficos complexos com menos código.

Para entender como isso funciona na prática, confira o nosso guia completo de análise de dados com Python.

Análise de dados com Excel

Excel é uma ferramenta amplamente utilizada para análise de dados, especialmente em ambientes empresariais. Oferece uma interface amigável e funcionalidades poderosas para a manipulação e visualização de dados, por exemplo:

  • Tabelas dinâmicas: permitem resumir grandes volumes de dados, facilitando a análise de tendências e padrões.
  • Análise de cenários: ferramenta que permite testar diferentes hipóteses e ver como as alterações nos dados afetam os resultados.
  • Solver: utilizado para otimização de problemas complexos, encontrando a melhor solução dentro das restrições definidas.
  • Gráficos: Excel oferece uma variedade de opções de gráficos para visualizar dados de maneira clara e eficaz, como gráficos de linha, barras, pizza e dispersão.

Análise de dados com Power BI

Power BI é uma ferramenta de business intelligence da Microsoft que permite a visualização de dados e a criação de dashboards interativos. É ideal para transformar dados brutos em insights visuais compreensíveis. Alguns de seus principais recursos incluem:

  • Dashboards interativos: permitem a criação de painéis visuais dinâmicos que podem ser compartilhados em toda a organização.
  • Conectividade com diversas fontes de dados: Power BI pode se conectar a múltiplas fontes de dados, como bancos de dados SQL, Excel, serviços web e muito mais.
  • Visualizações personalizadas: oferece uma ampla gama de visualizações nativas e permite a criação de visualizações personalizadas para atender a necessidades específicas.
  • Power Query: ferramenta para extração, transformação e carga (ETL) de dados, simplificando a preparação dos dados para análise.

Outras tecnologias populares para análise de dados

Além de Python, Excel e Power BI, existem outras ferramentas amplamente utilizadas na análise de dados.

  • Tableau: ferramenta de visualização de dados que facilita a criação de dashboards interativos e compartilháveis. É conhecida por sua facilidade de uso e capacidade de lidar com grandes volumes de dados.
  • R: linguagem de programação e ambiente de software para estatísticas e gráficos. Muito utilizada em pesquisa acadêmica e por estatísticos para análises avançadas.
  • SQL: linguagem padrão para gerenciamento e manipulação de bancos de dados relacionais. Essencial para extrair e manipular dados diretamente de bases de dados.

Estas tecnologias são fundamentais para a realização de análises de dados eficazes. A escolha da ferramenta certa depende das necessidades específicas do projeto, do nível de complexidade da análise e do ambiente em que os dados estão sendo utilizados. Falamos mais sobre isso no artigo Python ou Power BI: qual ferramenta é melhor para criar dashboards? e no vídeo abaixo:

Como se faz uma análise de dados?

Realizar uma análise de dados eficaz envolve várias etapas importantes. Cada uma dessas etapas é crucial para garantir que os insights derivados dos dados sejam precisos e úteis. A seguir, apresentamos um guia passo a passo para conduzir uma análise de dados bem-sucedida.

1. Definição do problema

A primeira etapa na análise de dados é definir claramente o problema que se deseja resolver. Isso envolve entender o contexto da questão, identificar os objetivos da análise e formular perguntas específicas que a análise de dados deve responder.

Exemplo:

  • Um departamento de marketing pode querer saber quais fatores influenciam mais as vendas de um novo produto. As perguntas poderiam incluir: “Quais são as características demográficas dos clientes que compraram o produto?” ou “Como as campanhas de marketing afetam as vendas?”.

2. Coleta de dados

Após definir o problema, o próximo passo é coletar os dados necessários para a análise. Isso pode envolver a extração de dados de diversas fontes, como bancos de dados, APIs, arquivos CSV, planilhas, pesquisas ou outros sistemas de informação.

Exemplo:

  • Coletar dados de vendas de sistemas internos, informações demográficas de clientes de pesquisas ou dados de interação com clientes de plataformas de CRM.

3. Limpeza e preparação dos dados

A etapa de limpeza e preparação dos dados é crucial para garantir que os dados estejam corretos, completos e prontos para análise. Isso envolve remover duplicatas, tratar valores ausentes, corrigir erros e transformar os dados para o formato adequado.

Exemplo:

  • Remover entradas duplicadas no banco de dados de clientes, preencher valores ausentes com a média ou mediana e converter datas para um formato uniforme.

4. Análise exploratória de dados

A análise exploratória de dados (EDA) visa entender melhor os dados por meio de estatísticas descritivas e visualizações. Esta etapa ajuda a identificar padrões, tendências e anomalias nos dados.

Exemplo:

  • Utilizar gráficos de dispersão para visualizar a relação entre diferentes variáveis, como a idade dos clientes e o valor das compras, ou histogramas para entender a distribuição das vendas ao longo do tempo.

5. Modelagem e interpretação

Na etapa de modelagem, técnicas estatísticas e algoritmos de machine learning são aplicados para construir modelos que expliquem os dados ou façam previsões. A interpretação dos resultados envolve analisar os outputs dos modelos para extrair insights significativos.

Exemplo:

  • Aplicar uma regressão linear para prever vendas futuras com base em variáveis, como gastos em marketing e sazonalidade, e interpretar os coeficientes para entender a importância de cada variável.

6. Comunicação dos resultados

A última etapa é comunicar os resultados da análise de forma clara e eficaz. Isso pode ser feito por meio de relatórios, apresentações ou dashboards interativos que destacam os principais insights e recomendações.

Exemplo:

  • Criar um dashboard em Python que mostra as tendências de vendas, os principais fatores que as influenciam e recomendações para futuras campanhas de marketing. Utilizar gráficos e infográficos para facilitar a compreensão dos dados por stakeholders não técnicos.

Seguindo essas etapas, é possível conduzir uma análise de dados estruturada e eficaz que não só responde às perguntas iniciais, mas também proporciona insights valiosos para a tomada de decisões estratégicas.

O que faz um profissional de análise de dados?

Um analista de dados é responsável por coletar, processar e analisar grandes volumes de dados para extrair informações relevantes que possam orientar a tomada de decisões. Suas tarefas incluem a limpeza e preparação de dados, a criação de visualizações e relatórios, a identificação de padrões e tendências e a aplicação de técnicas estatísticas e de machine learning para resolver problemas de negócios. Além disso, o analista de dados colabora com diversas equipes, como marketing, finanças e operações, para fornecer insights que impulsionam estratégias e melhoram processos.

Exemplos de tarefas

  • Extrair e organizar dados de diferentes fontes;
  • Limpar e transformar dados para garantir precisão e consistência;
  • Utilizar ferramentas de visualização para criar gráficos e dashboards;
  • Realizar análises estatísticas para identificar tendências e correlações;
  • Desenvolver modelos preditivos para prever resultados futuros;
  • Comunicar descobertas e recomendações para stakeholders.

Habilidades necessárias para ser analista de dados

Para se destacar na profissão de analista de dados, é essencial possuir um conjunto diversificado de habilidades técnicas e soft skills. Estas habilidades permitem ao analista lidar com dados de forma eficaz, resolver problemas complexos e comunicar insights de maneira clara e concisa.

Técnicas:

  • Estatística: compreensão sólida de conceitos estatísticos e métodos de análise de dados.
  • Programação: proficiência em linguagens de programação como Python e R, utilizadas para manipulação e análise de dados.
  • Ferramentas de análise: conhecimento de ferramentas como Excel, SQL, Power BI ou Tableau para extração, limpeza e visualização de dados.
  • Machine learning: capacidade de aplicar algoritmos de machine learning para criar modelos preditivos e de classificação.
  • Manipulação de dados: habilidade para trabalhar com grandes conjuntos de dados e utilizar bibliotecas como Pandas e NumPy para manipulação eficiente.

Soft skills:

  • Comunicação: habilidade para explicar resultados complexos de forma clara e acessível para audiências não técnicas.
  • Pensamento crítico: capacidade de analisar problemas de maneira lógica e tomar decisões baseadas em dados.
  • Atenção aos detalhes: precisão na coleta e análise de dados para garantir resultados confiáveis.
  • Colaboração: capacidade de trabalhar em equipe e colaborar com diferentes departamentos para alcançar objetivos comuns.
  • Curiosidade: vontade de aprender continuamente e explorar novas técnicas e ferramentas para aprimorar a análise de dados.

Onde pode atuar um analista de dados?

Os analistas de dados são procurados em diversos setores, pois proporcionam vantagens competitivas e promovem inovação. Por exemplo:

Empresas de tecnologia

Analistas de dados em empresas de tecnologia são responsáveis por analisar dados de usuários, otimizar produtos e melhorar a experiência do cliente. Empresas como Google e Amazon utilizam esses profissionais para personalizar recomendações e melhorar serviços, assegurando que as soluções tecnológicas atendam às necessidades e preferências dos usuários.

Finanças

No setor financeiro, analistas de dados desempenham um papel crucial ao analisar dados financeiros, prever tendências de mercado e avaliar riscos. Bancos e instituições financeiras contratam esses profissionais para detectar fraudes e otimizar investimentos, garantindo a segurança e a rentabilidade das operações financeiras.

Saúde

Na área da saúde, analistas de dados trabalham na análise de dados de pacientes para melhorar diagnósticos e tratamentos e otimizar operações hospitalares. Hospitais e empresas de tecnologia médica utilizam esses profissionais para aumentar a eficiência e os resultados clínicos, contribuindo para a melhoria dos cuidados de saúde.

Marketing e varejo

Analistas de dados no setor de marketing e varejo focam em analisar comportamentos de consumidores, otimizar campanhas publicitárias e aumentar vendas. Empresas de e-commerce e agências de marketing contratam esses profissionais para segmentar audiências e personalizar ofertas, maximizando o impacto das estratégias de marketing e impulsionando o crescimento das vendas.

Esportes

No setor esportivo, analistas de dados são essenciais para avaliar o desempenho dos atletas, otimizar treinamentos e desenvolver estratégias de jogo. Clubes, federações esportivas e empresas de análise de desempenho esportivo utilizam dados para melhorar a performance dos atletas e das equipes, saber quando é a hora de comprar ou vender um atleta, além de aumentar o engajamento dos fãs.

Segurança pública

Na segurança pública, analistas de dados ajudam a identificar padrões criminais, prever áreas de risco e alocar recursos de forma mais eficaz. Órgãos de segurança e agências governamentais utilizam esses profissionais para desenvolver estratégias de prevenção e resposta a crimes, aumentando a eficiência das operações e a segurança das comunidades.

Como se preparar para uma carreira em análise de dados?

Para construir uma carreira sólida em análise de dados, é essencial investir em cursos e certificações que forneçam tanto os fundamentos quanto a prática. Atualmente, no Brasil, existem cursos tecnólogos e diversas pós-graduações com a formação necessária para atuar nessa área.

No entanto, também é possível ingressar com formações correlatas, como Ciência da Computação, Engenharia, Matemática ou Estatística, desde que o profissional domine as ferramentas para análise de dados que falamos anteriormente. Por outro lado, também é válido e bem visto pelo mercado se qualificar por meio de cursos livres, os quais conseguem acompanhar as últimas tendências e atualizações tecnológicas da área com mais facilidade que cursos de ensino superior.

Uma excelente opção para quem deseja aprofundar seus conhecimentos é a Trilha Análise e Visualização de Dados, da Asimov Academy. Nossa abordagem prática e orientada por projetos permite que você aplique imediatamente o que aprendeu.

Cursos da Trilha:

Esta trilha é ideal para quem busca uma formação completa e prática, com suporte dos professores, atualizações constantes no conteúdo e certificação para se manter competitivo no mercado de trabalho.

Conclusão

A análise de dados não é apenas uma tendência passageira; é uma habilidade essencial que continuará a crescer em importância. Com o volume de dados aumentando exponencialmente, a capacidade de transformar esses dados em insights acionáveis será crucial para empresas e profissionais de todas as áreas. Seja você um iniciante curioso ou um profissional buscando aprimorar suas habilidades, o domínio da análise de dados abre portas para oportunidades ilimitadas.

Agora, a ação está em suas mãos. Se você está pronto para mergulhar ainda mais fundo nesse campo promissor e adquirir as habilidades necessárias para se destacar, não há melhor momento para começar. Explore os cursos da Asimov Academy, projetados para equipá-lo com o conhecimento e a prática que você precisa para ter sucesso.

Prepare-se para transformar dados em descobertas e suas descobertas em estratégias bem-sucedidas. O futuro da análise de dados espera por você!

Curso Gratuito

Curso gratuito de Python

Do zero ao primeiro projeto em apenas 2 horas

Criar conta gratuita

Comentários

Comentar
Você tem o Acesso Básico.
Libere seu acesso ao suporte dos professores Garanta seu acesso PRO para tirar todas suas dúvidas com nossa equipe.
Seja PRO