9 minutos de leitura

Python para Gestão de Tráfego – Parte 2: Como utilizar a API do Facebook Ads

Por Rafael Danoski
Conteúdos do artigo

Aprenda a fazer a conexão com a API do Facebook Ads para otimizar seus resultados na Gestão de Tráfego

Se você leu nosso último artigo sobre Marketing Digital, certamente percebeu a importância do uso de Python na carreira de um gestor de tráfego. No artigo, citamos diversas formas de utilizar a linguagem de programação para otimizar seus resultados. Se ainda não o leu, acesse agora!

No artigo, destacamos a API do Facebook Ads como ferramenta fundamental para alavancar suas análises. Com ela, é possível acessar toda a base de dados de sua conta de anúncio e, utilizando o Python, fazer análises massivas dos dados com a biblioteca Pandas, criar dashboards interativos e hospedá-los on-line de maneira muito rápida com Streamlit, além de criar modelos de machine learning para prever o resultado de duas campanhas antes mesmo de rodá-las.

Abordaremos todas essas funcionalidades nos próximos posts do blog. No entanto, antes de tudo, é necessário aprender a se conectar e extrair os dados da API.

Para os próximos passos, é importante ter uma familiaridade mínima com a linguagem Python. Caso não tenha, não se preocupe. Em nossa plataforma, temos um curso completo de Python para iniciantes, no qual ensinamos todo o básico da linguagem.

O que é uma API?

Antes de começarmos a trabalhar com a API do Facebook Ads, ou Graph API que é seu nome oficial, é importante entendermos o que é uma API e como trabalhar com uma.

API, sigla em inglês para Interface de Programação de Aplicativos, é um conjunto de ferramentas e protocolos que permitem a comunicação entre várias aplicações de softwares. Normalmente, são utilizadas por empresas para compartilhar informações ou recursos com parceiros ou clientes. Em termos mais simples, uma API é uma interface criada por uma equipe de desenvolvedores de uma empresa, que disponibiliza de uma maneira mais ágil seus recursos e dados para terceiros. No caso do Facebook, a Graph API disponibiliza através de endpoints os dados de negócio das campanhas de tráfego.

O acesso a uma API pode ser feito de diversas formas, geralmente por meio de requisições HTTP, em que se atribuem parâmetros como a URL a ser acessada, quais dados buscar e as chaves de acesso. Linguagens de programação normalmente oferecem bibliotecas que facilitam muito na hora de solicitar essas requisições. Por isso, utilizaremos Python, pois além de facilitar na extração de dados, nos ajudará muito a manipulá-los e, posteriormente, analisá-los.

O que é a Graph API do Facebook Ads?

Agora que já sabemos o que é uma API, podemos entender como a do Facebook funciona. A Graph API nos permite acessar e interagir com os dados do Facebook e de todas as empresas relacionadas à Meta, incluindo Instagram, etc. 

A Graph API disponibiliza dados como informações do perfil, postagens de amigos, fotos, vídeos e eventos. Os desenvolvedores também podem usar a Graph API para publicar conteúdo no Facebook, como postagens de status e fotos. No entanto, aqui vamos aprender a utilizar a API para consultar nossos dados de tráfego.

Para autenticar e autorizar solicitações, a Graph API usa o protocolo OAuth 2.0. Isso significa que você deve primeiro autorizar seu aplicativo a acessar seus dados do Facebook. Depois disso, o aplicativo pode enviar solicitações para a Graph API em seu nome. Isso é o que veremos a seguir.

Criando um aplicativo para acesso no Faceboook Ads

Para começar a consumir dados da API, é necessário possuir uma conta de anúncio com acesso ao Gerenciador de Anúncios. Se você já é gestor de tráfego, deve ter tudo em mãos para começar. Primeiramente, acesse a plataforma de desenvolvedores do Facebook por meio deste link. Nela, você criará um aplicativo para acessar a Graph API. É importante fazer login com a mesma conta que possui acesso ao Gerenciador de Anúncios. Na opção “My Apps” (Meus Aplicativos), é possível acessar ou criar um aplicativo.

facebook ads

Aqui você poderá criar um novo aplicativo ou acessar caso já o tenha criado. Na opção “Criar aplicativo”, você deverá criar um aplicativo do tipo “Business” (empresa) e preencher os seus dados de acesso à sua conta de anúncio do Facebook Ads. É importante que, nesta etapa, você se atente em preencher os dados corretamente para não ter problemas de acesso posteriormente.

facebook ads

Agora que você já criou seu aplicativo, vamos ver como gerar seu token.

Gerando o token de acesso

Para fazer uso da Graph API, será necessário um token (é preciso apenas um por conta. Verifique se já não há algum em uso na sua conta caso compartilhe com mais alguém). Após acessar seu aplicativo, o Token pode ser gerado na opção à esquerda da página principal: API de Marketing → Ferramentas.

facebook ads

Selecione todas as três opções de acesso nas caixinhas e clique em “Obter Token”.

Pronto, será gerado um conjunto de letras e números. É extremamente importante que você salve esse código em algum lugar, pois ele não aparecerá novamente! Caso você o perca, deverá gerar um novo seguindo o mesmo processo. Recomendo que o salve em um arquivo “.txt” em sua máquina, pois logo o utilizaremos.

Documentação da Graph API

Agora que você já tem seu token, pode começar a trabalhar. Porém, antes de começarmos a fazer requisições, é importante entendermos um pouco sobre a documentação da API.

Se você já teve alguma experiência como programador, já deve ter se deparado com a documentação de alguma linguagem ou biblioteca. Documentações no universo de TI são como manuais para as ferramentas com as quais trabalhamos. Elas são importantes porque, muitas vezes, iremos trabalhar com mecanismos muito complexos que exigem um pouco de estudo antes, e as documentações nos ajudam nesse processo de desenvolvimento.

Dito isso, é importante destacar que a documentação da Graph API não é muito robusta, possui pouca informação relevante e algumas das informações já estão obsoletas. Esse é um dos motivos de estarmos trazendo esta série de artigos para facilitar o entendimento e uso da ferramenta. Porém, ainda assim, sugerimos que tenham sempre o costume de dar uma olhada na documentação, pois podem acabar encontrando alguma informação útil ou que ainda não abordamos por aqui.

Próximos passos…

Agora, você já tem um aplicativo e um token de acesso à Graph API. No próximo post, iremos abordar sobre a estrutura do Facebook Ads e como fazer as primeiras requisições.Fique ligado na nossa Newsletter e não perca os próximos posts do nosso blog!

Inscreva-se gratuitamente e fique atualizado

Receba toda semana um resumo dos principais conteúdos da Asimov direto no seu e-mail. 100% livre de spam.

Áreas de interesse:
Conteúdos do tutorial